Menos chouriço no pão

Paula Mourato Caiado de Branco

por Paula Mourato

As mais recentes notícias sobre o estado da nação descobriram um número surpreendente de portugueses que consomem pão com chouriço. Ou isso ou a nossa classe dirigente é mais esquizofrénica do que eu pensava.

Temos de concordar que a medida, amplamente satirizada nas redes sociais, parece algo palerma ao ser prioritária num país onde os valores democráticos são cada vez menos respeitados e substituídos pelos valores de mercado – deixando clara a sua incompatibilidade. É natural que a minha fraca visão e questionável inteligência não veja que uma menor taxa de IVA no pão com chouriço não belisca a economia e resolve muitos problemas nacionais. Porventura será uma medida de tal forma libertadora só comparável aos primeiros dias de liberdade no Portugal de Abril para onde milhares de revolucionários voltaram depois de uma vida na clandestinidade.

À semelhança dos pães com chouriço, até agora na lista negra dos bens surpérfluos com IVA a 23%, regressam à terra prometida dos bens essenciais por iniciativa de Maria Luís, e após uma cantilena atualizada do “Depois do Adeus” – Paulo de Carvalho nesta coisa das senhas libertárias está fora de moda. Os pães com chouriço passam assim a ser mais “user friendly” ao reverterem para os cofres do Estado uns modestos 6%. Agora não há brioche ou sandes mista que possa concorrer com um belo pão com chouriço no que toca à poupança das populações a braços com questões de sobrevivência.

Agora não há brioche ou sandes mista que possa concorrer com um belo pão com chouriço no que toca à poupança

Enquanto isto, o Governo finge que crescem exportações. Um verdadeiro milagre económico, não de Fátima mas da refinaria de Sines. Ou, que a taxa de desemprego diminui. Basta estar atento aos discursos esforçados da rapaziada da propaganda governamental. Embora essa diminuição não coincida com o aumento do emprego, mas sim com a diminuição da população activa e com a emigração aos magotes.

Este é o Portugal do pão com chouriço, onde 412 mil desempregados não têm qualquer subsídio contrariando o provérbio “a fome mete a lebre ao caminho”, até porque agora, devido à boa vontade do Executivo, podem comê-lo por estar ao alcance de qualquer sem abrigo que não tendo RSI terá por certo umas moedas resultantes da arrumação de veículos. Mas nem tudo é mau! O IVA a 6 % pode de facto ajudar alguns empreendedores pontuais que tenham encontrado no pão com chouriço a saída para a crise. E nesse caso, um ponto é tudo.

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s